capela-Manresa-Juiz-de-Fora-MG-500x333

Capela do Colégio dos Jesuítas concorre a prêmio internacional de arquitetura

A Capela Recanto Manresa, do Colégio dos Jesuítas em Juiz de Fora (MG), é uma das indicadas para a 12ª edição do prêmio internacional Building of the Year (Construção do Ano), promovido pela ArchDaily, um dos maiores portais especializado em arquitetura no mundo.

A obra é a representante do Brasil na categoria Arquitetura Religiosa e concorre com construções de outros 27 países. Nas próximas duas semanas, o público terá a oportunidade de reconhecer e escolher as finalistas em cada uma das 15 categorias do prêmio.

Votação

Na primeira etapa é preciso acessar o link https://cutt.ly/rj6IBE1 e clicar em NOMINATE THIS PROJECT, depois é só informar e-mail ou fazer login em uma conta do Facebook ou Google. A nomeação da Capela Manresa na categoria Religious Architecture pode ser feita até o dia 10 de fevereiro.

Após essa fase, cinco projetos por categoria passarão para a etapa de votação, que começa em 10 de fevereiro e termina em 18 de fevereiro, mesmo dia em que será anunciada a obra vencedora.

A capela

Idealizada pelo arquiteto mexicano Eduardo Zarza, a Capela do Recanto Manresa, localizada em meio à Mata Atlântica, na cidade de Juiz de Fora (MG), é uma construção octogonal de 80 m². Antes da pandemia, ela foi espaço para a realização de celebrações e atividades formativas para estudantes e educadores, proporcionando momentos de espiritualidade e de aprendizagens reflexivas e transformadoras.

A obra é composta por cinco paredes de vidro, que transformam a paisagem natural em uma espécie de pintura, a fim de inspirar a meditação e os estados de contemplação em seus visitantes.

“Utilizamos terra batida para as paredes e todo o espaço é coberto por uma laje de concreto armado, com textura de madeira. As janelas do chão ao teto podem ser completamente abertas”, explica Eduardo Zarza. A iluminação modular é outro destaque e permite criar diferentes cenários para cada ocasião, iluminando inclusive a vegetação nativa.

São três paredes, dois pilares centrais e cinco paredes de vidro, estrutura que permite que a capela se abra para receber o máximo de pessoas e também favorecer a ventilação. É importante frisar que os materiais utilizados foram pensados e escolhidos de forma a fazer com que a construção interviesse o mínimo possível ao meio ambiente, nossa Casa Comum.

Além disso, nas paredes, as pinturas religiosas do artista brasileiro Anderson Augusto, feitas especialmente para o projeto, trazem ainda mais beleza para o local.

Tags: No tags
0

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *